meu aniversário (FRUSTRAÇÃO)!

Essa data foi um problema em minha vida! Tentei arrancar de dentro do peito durante muitos tempo! Na verdade, desde quando completei oito anos! Naquele aniversário me sentia muito ansiosa e carente. Queria muito apagar “velinhas”! Essa vontade era silenciosa, nunca expressei! Sabia que não ia ser ouvida! O desejo amordaçado estava lá, quieto e forte! Na verdade era um sonho ! Uma criança não entende certas coisas, só pode sentir!  Naquele aniversário, não sabia porque, acordei numa expectativa imensa! Esperava uma surpresa! Por coincidência aconteceu de uma tia “rica”, chegar de-repente, dizendo que queria me fazer um bolo bem bonito! Fiquei super feliz! Ela  me deu como presente, uma pequena quantia em dinheiro! Quando resolveu começar a fazer o bolo pediu pra eu ir comprar os ingredientes na vendinha da esquina. Como eu sabia que minha mãe não tinha dinheiro algum, fui quieta e usei o meu! Gastei quase tudo mas, valia a pena. Finalmente ia ganhar o ” sonhado bolo”! Estava feliz! Fui brincar no quintal enquanto ela preparava tudo. Depois de algum tempo que eu brincava com os meus amiguinhos imaginários, ouvi ela me chamar! Laura, ficou pronto, vem olhar seu bolo!! Ansiosa fui correndo! Quando cheguei lá,  não acreditava no que via! Fiquei muito frustrada! Aquele não era o bolo que eu tinha sonhado! Eu queria um bem grande! Cheio de creme com muito coco! Muitos enfeites! Na minha cabeça tudo era tão simples! Não precisava de mais nada! Minha tia não tinha entendido nada! Sabe o que ela colocou, pra enfeitar? Uma velha rosa vermelha de plástico que tirou do vaso de minha mãe!. Aquilo me marcou demais! Fiquei tão triste!A sensação que tive  é que estavam gozando de mim! Hoje vejo  que me senti humilhada. Os anos se passaram! Me casei, tenho dois filhos  e marido. Eles conseguiram mudar  isso em mim! Resisti muito! Era mais forte que eu! No meu último aniversário me fizeram uma surpresa. Algo que eu não esperava mesmo! Buscaram uma antiga mestra e amiga, que eu não via há anos e me fizeram uma surpresa! Uma nova experiência em minha data! Queriam me fazer feliz! Acho que alguma mudança aconteceu. Consegui sentir algo novo! Parece que meu coração aqueceu e derreteu a rosa de plástico! Já tenho planos para comemorar o próximo! Acho que vai ser um “FESTÃO”!

RISCO DE PERDER ( PERDAS E DORES)!

Tudo na vida tem um fim! Aprendemos isso em tenra idade, começando pelas coisas mais elementares! Aprendi, também que cada perda tem um ganho! Muitas vezes é difícil perceber esse outro lado. Perdemos, mas ganhamos! Isso assusta! Nesses últimos tempos, tenho vivenciado muito essa situação. Rupturas, perdas e ganhos ! Rompi com  alguns valores e situações antigas. Essa transição me fez perceber quanto a vida pode ser construída de uma forma nova, a partir de mudanças em padrões internos. O novo se estabelece! Basta ter esse olhar e se apropriar. As pequenas mortes, que fazem parte do cotidiano, são sentidas como comuns. E as grandes mortes? A morte de um grande amor? E a morte da própria mãe, como a que vivi? Acho que essas são assustadoras demais, comprometem o nosso sistema energético, desestabiliza o organismo. O chão foge das pernas! É necessário focar na vida.  Mas como? Dói tanto! A vida parece não estar presente. A sua matriz não vive mais aqui! Há um terror estático nesse momento. Tento correr pra ideia inicial, que toda perda tem seu ganho! Acho que preciso mergulhar nessa dor e buscar entender o que tem de bom nisso. Me ocorre numa primeira sensação, que a morte é uma libertação! E a saudade? O que faço com avalanches de sentimentos? É muito difícil! Penso que devo exercitar o desapego. Não posso ser egoísta! “Amar é aceitar a liberdade do outro”! O pensamento que acalma meu coração é sentir que ela superou limitações  e que finalmente pode voar! Morrer pode ser uma evolução, um crescimento! Sentir que ela pode estar mais feliz me liberta também.Voe alto, minha mãe! Quem sabe agora dê tempo da gente falar mais de Amor!