O MONSTRO DESTRUÍDO ( VAZIO EMOCIONAL)

Mauro é um homem bonito, inteligente, bem sucedido profissionalmente e com as mulheres, mas, sofre  vinte quatro horas por dia. Nunca se sente feliz! Tem quarenta e quatro anos de vida mal vivida. Sabe muito bem exercer a arte de conquistar. Porém, tem uma grande dificuldade, não se envolve emocionalmente com ninguém. Quando ele sai com garotas, elas ficam loucas de tesão, insistindo em serem lembradas, ou quem sabe amadas! Essas garotas só não sabem que ele, simplesmente, não consegue amar. O seu coração está bloqueado. A história desse “menino”, justifica o seu comportamento emocional. Ele sentiu as dores da vida bem cedo! Teve uma mãe desconectada dos valores familiares e éticos. Mulher bonita e sensual. Fazia sexo com quem pagasse o seu preço! Para ela, isso era o suficiente. Não precisava sentir amor! Necessitava sobreviver, e sexo, é o que ela fazia muito bem! Ganhou muito dinheiro, e nesse meio tempo , ficou grávida de um desses homens com quem se relacionava . Desta vez, a vida lhe aprontou uma  surpresa. Ela se apaixonou! Foi mais forte que ela! Resolveu assumir solitariamente essa criança. O pai nem soube desse filho, e como todos os outros homens que passaram pelo seu caminho, foi embora, sem olhar para trás.  Marina, esse era seu nome, resolveu ter ” seu fruto”, secretamente e  sumir por uns tempos. Só contou o seu segredo à sua grande amiga Susana , também garota de programa. Sabia que podia confiar nela. Foi ter seu filho lá no interior do Maranhão,  numa cidade calma e distante da capital.  Quando a criança nasceu, um saudável e lindo menino, ela se apaixonou imediatamente. Ele despertou nela um sentimento novo. Ficou assustada. Era um sentimento muito forte, mobilizador! Nesse encantamento, cuidou de sua prenha, amamentou o tempo que conseguiu. De repente, ficou muito preocupada com o futuro, afinal, ela era pai e mãe, ao mesmo tempo. Sentiu uma necessidade muito forte de ter que voltar à trabalhar. Tinha que correr contra o tempo! O seu corpo era o instrumento de seu trabalho, e já não se sentia tão nova! Na verdade , ela tinha uma boa quantia em dinheiro guardada, era uma  “garota de luxo” ! Marina tinha se acostumado à esse luxo,  ter tudo do bom e do melhor. Pensando nisso tudo,  marcou seu regresso de imediato. Ficou num grande conflito, mas não teve jeito. Queria aproveitar o tempo que ainda lhe restava! Deixou sua criança com quatro meses de idade, em uma instituição de bom nível, e partiu com a intenção de voltar assim que a vida permitisse.  A vontade do destino, muitas vezes é cruel! Na volta à capital, Marina sofreu um acidente de avião terrível. Ninguém sobreviveu! Mauro, seu filho, herdou da mãe o suficiente para ser  educado em boas instituições. Cresceu , virou um homem profissionalmente bem preparado, na área de engenharia, ganhando muito dinheiro.  Faltava algo em sua vida, que o dinheiro não conseguia comprar. Não conseguia amar! Sentia um grande vazio no coração! Tinha um monstro interno congelado que o consumia! Procurou terapia, buscando se livrar  desse monstro  que o impedia de sentir a vida! O fogo já começou a aquecer ! Quem sabe?

INFIDELIDADE (expectativa de mim)

Só não! Casada! Talvez muito sonhadora e romântica! Quem sabe uma fantasia não me faria bem? Não, acho que não devo! Mas é só uma brincadeira! Não pode haver pecado nisso! Para mim basta um olhar diferente! Um sorriso cativante insinuando um convite! Nossa! As imagens se afloram em minha mente, formam cenas, como  num filme de amor! Aqueles que a gente chora e ri ao mesmo tempo. Mexe tanto com meu coração! Com a alma! Porque será que meu psiquismo me conduz à esse desejo? Porque insisto em pensar em ter uma vida diferente?  Porque esse pensamento recorrente me atormenta? O meu companheiro é tão bom! Meu casamento parece perfeito! Mas, sou feliz? Noutro dia, atormentada nesse padrão mental, Alice chegou em meu consultório, com essa fala, buscando se entender! Cheia de culpa e insatisfação! Afinal, “TODOS” acham que ela e o marido formam um casal perfeito! Ai é que começa o seu problema!Vai ter que se encarar!

DINHEIRO: QUAL SEU VALOR? (auto-sabotagem)

Ando pensando muito neste tema! Olho a dimensão que ” Ele” ocupa no mundo! Preocupa como será o futuro da humanidade! Parece que o homem ficou pequeno demais perto dele! A força que ele atingiu supera os valores naturais da vida. Os crimes, traições e mortes que dele decorrem, mostram como ficou o psiquismo humano! Com o transcorrer do tempo, está ficando potencialmente pior. O dinheiro está ligado a morte e a vida! É um paradoxo! Sem dinheiro na nossa sociedade não se vive! Essa é uma realidade! Estamos ficando cada vez mais submissos a importância que ele ocupa e o seu significado!  Socialmente seu valor dá o status de “PODER”! E os outros aspectos da vida? Como fazer os nossos sentidos se aflorarem e conseguir perceber no meio desse caós , a importância de um sorriso, de um olhar carinhoso, de um gesto de amor? Como identificar a alegria e a felicidade em coisas simples do dia/dia? Sensações que não custam nada e podem trazer à vida sabores tão essenciais? Que você diria de um simples vento acariciando sua pele numa tarde de outono? O som das ondas do mar? Uma noite enluarada, cheia de estrelas? O nascer do sol? Essas podem ser algumas das formas naturais de sentir a vida sem a presença do vilão! Ninguém pode roubar isso de alguém. Esse poder não tem preço! Só você pode se roubar!!!

MORCEGO COLORIDO ( IMATURIDADE EMOCIONAL)

Como é gostoso aquele chamego! Aquele beijo no pescoço! Aquele abraço quente! Nossa!!! A sensação é tão intensa que chega a amolecer as pernas! Naquele momento a gente esquece de tudo! Fica nas nuvens! Quando esse carinho vem desintegrado de cumplicidade e respeito à identidade do outro, resulta num grande desgaste dessa relação! Há relações que funcionam com esse padrão, por um tempo ou por longo tempo. Vão depender de como foram construídas e o “jeitão”, de cada casal! Um tempinho atrás, recebi em meu consultório uma linda moça com o nome de “FLOR”! Era uma pessoa delicada e muito cheirosa. Fazia jus ao nome! Tinha uma pele macia, lembrando “pêssego”, e um sorriso encantador! FLOR estava com vinte e oito anos, mal vividos no amor! Tinha uma sensibilidade muito aguçada e timidez respeitável.  ” UM FOGO INTERNO” queimando suas entranhas! Ouvia elogios sobre sua beleza, mas na verdade, não se sentia assim. Suas histórias nos relacionamentos era assustadora de,” auto- anulação”! Com seu jeitinho delicado e indefeso, era facilmente seduzida com palavras sedutoras, esvaziados de amor! Havia algo nela que a impossibilitava de atrair pessoas equilibradas e disponíveis  à amar!  Estava quase desistindo de ser feliz! Dessa forma ela relatou sua queixa no nosso primeiro encontro. Estava tão  desencantada pela vida, pelos homens, como se eles tivessem tido o poder de lhe causar tanto desencanto! Não sabia onde estava o erro! Segundo o seu relato, no início de seus envolvimentos, era tratada como uma rainha. Cheia de mimos e carinhos. Soberana! Com o passar do tempo percebia sua energia sugada e não entendia muito o porque! Sentia-se esmorecida e de certa forma perdia a vontade de estar naquele envolvimento.! Havia um vazio interno que não compreendia! Terminou várias relações por se sentir assim!  Esse padrão emocional já não dava mais pra ela bancar. Na verdade nunca se sentia amada! Começou a ter crise de depressão! Numa dessas fases, quase deu um fim a vida! Sentia-se vítima do destino. Sem saída! Por ter muito medo de perder o pouco de vitalidade que ainda sobrava, buscou ajuda na terapia. Depois de algum tempo de tratamento, pode identificar que seu próprio comportamento  alimentava esse tipo de situação, que tanto lhe fazia mal! Percebeu que em suas relações,  havia da parte dela escolhas inadequadas. Ela estava afastada de seu coração! Tinha uma necessidade muito grande de agradar o outro, muitas vezes em detrimento de si própria. Se entregava de tal maneira sem entrar em contato com  seus sentimentos! Identificou também  que só atraia pessoas desajustadas, com dificuldades de relacionamento adulto e equilibrado. Essas pessoas, assim como ela, estavam afastadas de seus corações. O “MEDO “, de rejeição e abandono fazia com que” FLÔR” aceitasse tudo do outro. Sem nenhuma discriminação. Se anulava como pessoa! Em terapia pode ir assumindo as rédeas profundas de sua vida e buscar a mulher perdida dentro de si! Ainda está buscando conhecer seu jardim e semear suas flores! Desta vez com escolhas conscientes!

O DROGADO! (ALMA VAZIA)

Alma preenchida, sinônimo de vida plena! A plenitude é um estado energético de profundo equilíbrio emocional! Não é necessário buscar outras fontes! A vida parece leve e com ritmo próprio. É pra poucos! Tive um paciente, Rafael, jovem de vinte e seis anos, num quadro emocional muito difícil pra ele administrar! Estava ancorado num núcleo confusional muito acentuado, com grandes dificuldades de focar objetivos e metas. A vida pra ele não tinha sentido algum! Se perdia nos fatos, sem a menor importância no dia/dia!  Tinha momentos em que o vazio era tanto, que sentindo que iria entrar em depressão, se drogava muito! Depois de um tempo fumando maconha, ela já não satisfazia suas necessidades. Precisava de drogas mais pesadas! Foi desta forma que acostumou a se preencher! Assim foi se enganando! Ficou por muito tempo!!! Normalmente entrava numa enorme depressão após o efeito da droga e, quando isso acontecia, consumia mais droga ainda, tentando parar de sofrer! Esse quadro emocional virou um ciclo vicioso! Rafael vinha de uma família desestruturada, com um pai extremamente austero e rígido! Tinha uma mãe  com identidade fragilizada  e uma irmã que tentava driblar os grandes conflitos e angústias gerado por seus pais. Ela buscava seu próprio equilíbrio, fazendo terapia,  tentando organizar a cabeça! O pai sempre exigiu de RAFAEL, o reflexo de si próprio, em todos os níveis! Por ele não responder as suas expectativas, esse pai o desqualificava e o criticava, exaustivamente! Essa rejeição tornou a vida do moço insuportável! Ele tentou fugir desse sofrimento entrando nas drogas! No início era só maconha, depois, quando isso já não abastecia sua enorme carência, foi entrando em drogas mais pesadas! Foi se transformando numa caricatura de si próprio. Extremamente magro, não queria mais se alimentar entrando num caminho com poucas chances de volta. Analisando seu caráter, notava-se uma enorme imaturidade emocional. Ele se expressava como um menino assustado diante da vida! A relação emocional vivida no campo familiar inviabilizou seu amadurecimento, tornando-o um adulto-criança! Não houve chances desenvolver autonomia e auto- confiança! Teve muito medo de crescer e se expressar nas diversas fases da vida! Não houve acolhimento! Com um tratamento prolongado, no seu ritmo, foi enfrentando as dores caladas e as frustrações mal resolvidas de sua vida! Depois de um bom tempo percebeu que podia ser ele mesmo, com qualidades e defeitos! Foi buscando o seu melhor! Se aceitando!  Reconhecendo sua força, percebeu que era mais forte do que as drogas que o dominavam! LIBERTOU-SE!