SINFONIA DA VIDA! (COBRAS DISFARCADAS).

Desiquilíbrio psíquico. Não deu pra conviver harmoniosamente com Fausto. Esse sujeito quase me enlouqueceu. A trouxa, aqui, sempre perdoou suas atitudes insanas. Na rotina da vida é impossível suportar Fausto! Não sabe o que é respeito por uma mulher. Escroto! Sempre criticando e destilando o seu veneno ácido e corrosivo. Faz isso como ninguém! Lentamente. Depois de uma noite de amor, ainda assim, é cruel. Na hora do sexo, se regala. Vira um carneirinho. Manso. Manso! Passando a euforia do orgasmo, se transforma. Metamorfose total. Vira uma cobra venenosa, finca seus dentes na vítima mais íntima. Claro que sou uma perfeita idiota. Tenho consciência de que eu me coloquei nesse papel. “Estou onde me coloco”. Porém, agora chega! Às vezes me sinto como uma mosca, presa numa enorme teia de aranha. Quanto mais tento me livrar, mas me sinto no emaranhado. Agora, basta. Já decidi. Ardilosamente buscarei sair dessa gangorra doente. ( Ardentes madrugadas seguidas por dias tóxicos). Andei  hipnotizada pelos verdes olhos da cobra, brilhantemente disfarçada. Mel e fel que sugava minha energia. Descabelada, como louca, eu sempre lambia o sangue que escorria das feridas, provocadas pela cobra de olhos verdes. Lambia o meu próprio sangue! Gosto agridoce. Cobra brilhante, deixa estar! Ainda vou te pegar de jeito. Sem piedade, nem pudor. Suas escamas ásperas, aversivas, não me tocarão mais. Irá morrer de seu próprio veneno. Já preparei a toca. DESTA VEZ VOCÊ NÃO ME ESCAPA. NÃO MESMO!

MOCHILA DAS DEFESAS! ( DESPROTEGIDA).

Sonho recorrente:- Cilene Maria foi à uma festa. Lá havia muitos convidados. Alguns deles já bebericando e ouvindo músicas dos anos noventa. A festa estava apenas começando! Prometia animação. Cilene, distraída, num repente, se deu conta que tinha ido totalmente desnuda. Percebeu que segurava em sua mão esquerda uma mochila vermelha com a roupa da festa. Morrendo de vergonha, evitando ser vista  pelas pessoas, buscou rápida solução. Avistou uma toalha branca enrolada sob uma das mesas da sala onde se encontrava, sem pensar muito, imediatamente, enrolou-se nela tentando proteger-se de eventuais olhares indiscretos. Caminhou disfarçadamente pelos cantos do ambiente e foi procurar um lugar onde pudesse se vestir. Avistou um banheiro no fundo do corredor. Foi até lá. Percebeu que estava ocupado. Na urgência, não querendo mais ficar  exposta e correr o risco de cair no ridículo, andou em direção à uma porta que dava num quintal arborizado. Lá estavam sentadas num banco, encostado numa pitangueira florida, sua mãe Rebeca, elegantemente arrumada, e a tia  Maria, mulher muito simples que não combinava com aquele ambiente sofisticado.  Chamava atenção pela falta de adequação em sua vestimenta. Quando Cilene passou perto delas, ouviu a tia comentar sobre suas belas pernas expostas sob a toalha que a envolvia. Cilene, nem parou. Breve aceno, simplesmente. Continuou a buscar um lugar discreto para se vestir. Sentia-se extremamente ansiosa. Situação constrangedora. Queria se arrumar. Ficar bonita. Curtir a festa como tinha direito! Finalmente encontrou uma academia no fundo do quintal. Entrou acelerada. Coração disparado. Puxou o zíper da mochila. Emperrou! CILENE ACORDOU!

IINTERPRETAÇÃO: ( Sessão de psicoterapia).

O registro da história emocional de Cilene Maria, expressa fragilidade originada de intensas rejeições recorrentes de um ambiente familiar desestruturado. Filha única. Vítima de um pai ácido, exageradamente crítico e uma mãe submissa diante das situações conflitantes da vida. A atitude dessa família, construiu um clima educacional tóxico, prejudicando demasiadamente a filha em sua capacidade de expressão e equilíbrio emocional.  Exagerada repressão gerou em Cilene, inseguranças, dificuldades em lidar com o social e com as pessoas em geral. “Medo de se expor”! Medo de ser rejeitada. Potencialmente, Cilene Maria, é criativa, inteligente e sensível, mas, diante de tantos bloqueios vividos, desenvolveu defesas para se proteger da dor. Defesas que se transformaram vilãs em sua vida. (Auto sabotaram sua primeira natureza)! Desiquilibrou os seus polos energéticos. “Caminho inimigo da expressão equilibrada dos desejos genuínos”. Com o passar do tempo, sua mãe foi mudando sobre muitos aspectos, demonstrando ser mais segura e determinada. Atualmente, representa um bom modelo de mulher onde Cilene tenta se espelhar. Atrapalha-se nos papeis que tenta repetir. É comum ela entrar numa intensa ansiedade. O pai também mudou em suas atitudes egocêntricas e desrespeitosas para com Cilene. De vez em quando tem recaídas! Cilene Maria já consegue lidar melhor com ele! Sequelas inevitáveis decorrentes de tantas repressões estão presentes no dia-dia. Necessitam serem tratadas. Esse sonho recorrente  dessa moça reflete insistente necessidade de equilibrar a balança interna. (Integrar o racional com o emocional de forma saudável)l. Cilene buscou ajuda terapêutica. Quer se entender melhor.  suas neuroses insistentes. “Compreender a função de suas defesas”.  Perder o medo de ser feliz! ” ARRUMAR O ZÍPER DA MOCHILA VERMELHA E FAZER ESCOLHAS”!