COMEÇAR DE NOVO ((RENASCIMENTO EMOCIONAL)!

Parece ter sido ontem! Andava  distraída pelas ruas arborizadas de Pinheiros! Os aromas das flores invadindo todos os meus sentidos! De repente, eu te encontrei! Você chegou meio perdido! Eu estava me sentindo assim também! Nossos olhares se cruzaram! Percebi um verde intenso! Uma expressão quase chorosa, triste! Foi tão forte, tão forte!  Seu olhar tem algemas! Rolou na minha cabeça um filme antigo, perdido no passado,” Medo de Sofrer”! Quis fugir, não teve jeito. Você me conquistou! Resolvi enfrentar. Conversei com meu coração! Implorei que ele não me deixasse ir embora novamente. Fiz sérias ameaças de abandono, afinal, eu poderia trancá-lo para sempre! Hoje, passado seis anos, com trinta e quatro anos de idade, afirmo feliz que valeu a pena. Não foi fácil no começo! A entrega foi acontecendo lentamente! Não houve pressa! Deixei o coração ir dando o ritmo! Senti que foi acontecendo na medida exata em que percebi como a confiança e  as sensações do primeiro encontro, não perderam o colorido. “SOU FELIZ”!

FIM DE ANO (MUDANÇAS INTERNAS)!

Que ano difícil!!!! Me dei conta não ter realizado nem a metade de tudo que havia sonhado! Abdiquei de  minha vida pessoal, tentando resolver problemas mal resolvidos dos outros, como se fossem meus! Pura loucura! Sinto que perdi meu tempo! Não quero mais  isso pra mim. Basta! Sei que tenho uma tendência emocional de desenvolver fortes apegos! Isso não tem me feito bem! Perco muita energia e nem consigo solucionar situações que, muitas vezes, saem do meu controle. Não dependem de mim! Tenho suportado pessoas brincando com meus sentimentos, me invadindo! Como se eu também fosse a responsável por suas dores! De repente, me transformam em algoz! Se eu não responder ás suas expectativas, recebo o nobre título de “louca”! Andei analisando muito e, descobri em terapia, ser esse ,um padrão mental que desenvolvi e me ancorei! Passei a funcionar desta forma! Refleti sobre como tudo isso tem confundido a minha cabeça, transformando minha vida numa montanha russa! Descobri também, que essa forma de pensar, é patológica e me destrói. Estou num processo de profundas mudanças, buscando resgatar minha real identidade!

A GUEIXA (SUBMISSÃO E FRAGILIDADE)!

Toda mulher emocionalmente insegura e carente, quando entra num amor romântico, tem um pouco de gueixa! Fica numa total submissão! Como se fosse uma folha ao vento! Um simples sopro do amado, transporta sua alma para o céu ou inferno. Com belas palavras e muito sexo, essas mulheres se perdem na emoção! Ficam muito fragilizadas,  se entregam à aspectos isolados de sua personalidade. Não percebem a forma castradora dessa relação. Numa eventual ruptura, se desestruturam, podendo desenvolver patologias emocionais ou físicas. Isso acontece, muitas vezes, porque não recebeu o carinho e afeto suficientes, em sua história de vida! Esse caráter imaturo, faz com que busque  os sentimentos que lhe foram negados , sem discriminar situações ou pessoas. Assim  pode passar a vida nessa condição de submissão ao outro, sendo o alvo muito fácil, dos “machistas de plantão”! Esse tipo de homem, tem em seu caráter, uma necessidade intensa,  de submeter a mulher. Na verdade, ele é uma pessoa frágil também, com necessidades de auto -afirmação! Busca  através dessa atitude, se sentir forte e poderoso, preenchendo assim essa lacuna emocional. As neuroses se encaixam, absolutamente! Um manda , o outro obedece. Nas duas situações,  são pessoas com baixa auto estima , e desestruturadas psicologicamente. Nenhuma delas está energeticamente equilibrada. Existe um profundo medo da dor, de saber quem são! Se auto conhecer e começar a se gostar, é o caminho da “LUZ”!!!

O HOMEM DAS CAVERNAS (MÃE RÍGIDA E PAI BIPOLAR)!

Parece incrível! Muitas pessoas não se dão conta, o  quanto estão ancoradas, num nível emocional tão fechado, que mais parece uma prisão de segurança  máxima! Sentimentos abafados! Imaginem como ficam esses conteúdo  durante toda uma vida! É quase certo que em algum momento, o organismo vai reagir à essa violência, com desiquilíbrio da energia corporal! Assim acontecem muitas doenças! Glória é uma dessas pessoas! Está visivelmente muito desestruturada. Não sabe quem é, onde se encontra, e nem como achar as chaves de sua cela! Foi criada de uma forma muito repressiva. Filha de uma mulher muito prática, racional e de pouco contato! O olhar dessa mãe, era focado no crescimento social e profissional. Jamais soube dar um beijo afetuoso caloroso! “Beijinho frio, quando muito”! Cobrar resultados, ser crítica, ácida, nisto era “doutorada”! Não suportava nenhum deslize. Sabia humilhar como ninguém! Suas punições atingiam a alma! Não admitia expressão de espécie alguma, nesses momentos cruéis. A lei estabelecida era “sofrer em silêncio”!  Quanto a seu pai, teve que encarar um transtornado bipolar. A difícil convivência com esse tipo de caráter está na oscilação de humor! É assim, como uma gangorra:`- ora está na euforia, ora na depressão! É como se testasse todos os controles emocionais de quem convive com ele! Glória passou por todos essas situações, altamente ameaçadoras à formação de um caráter equilibrado. Uma criança sujeita à esse ambiente emocional, pode adquirir dificuldades na capacidade de expressão e contato por toda a vida! Ela não conseguia fazer  amizades! Tinha muitas dificuldades no convívio  social! Desenvolveu um complexo de rejeição,  tornando-se insegura e muito tímida! Sua identidade ficou muito comprometida. Os conflitos eram seus companheiros constantes! Por outro lado, tinha um desejo muito forte de sair desse estado. Não estava feliz! A partir dessa consciência, buscou ajuda, tentando resgatar, o que havia perdido dentro de si!

VAI ENCARAR? (BUSCA DE IDENTIDADE)!

Outro dia, passando pela avenida São João, me deparei com uma jovem enfurecida, aos berros, contra um homem, bonito e charmoso, que vou chamar de “Zé”! Ela estava visivelmente alterada, reclamando de sua atitude “galinha”! Segundo ela,  o “bonitão”, tinha olhado descaradamente pra outra mulher! Era uma cena de ciúmes explícito! As pessoas, como é comum nessas situações, foram se aglomerando para assistir ao espetáculo! Não tenho o hábito de parar, acho complicado interferir, mas aquela cena, “mexeu comigo”! Num impulso, fui até ela, peguei sua mão delicadamente, ficando assim por alguns instantes. Esperei que ela se acalmasse! Seu “homem”, meio envergonhado, recuou até um muro próximo, me deixando mais a vontade. Ela levantou um lindo par de olhos azuis, focou fundo no meu olhar, trocamos uma energia feminina! Lentamente, fomos nos afastando do local da cena. Seu nome era Karina. Foi se desculpando, enquanto a gente caminhava com mãos entrelaçadas. Relatou que tinha muita dificuldade de controlar seus impulsos. Sabia que aquele homem não a merecia , era um “narcisista barato”. Tinha uma paixão perdida por ele mas, não  se sentia amada e nem respeitada. Desconfiava que ele tinha um certo prazer em provocar seus ciúmes! Não queria mais ser tão frágil! Precisava sair dessa impotência! Novamente me olhou nos olhos, como uma criança assustada , perguntando como  fazer pra se libertar. Ainda olhando em seus olhos, perguntei:- Você está disposta a se encarar? Se apaixonar antes por você? Ela me apertou significativamente a mão! Murmurei, em seu ouvido:- Busque caminhos do auto conhecimento. Você poderá conhecer a sua melhor companhia, “VOCÊ”, à partir daí poderá fazer melhores escolhas!!

“O MEDO” ( TRANSTORNO DE ANSIEDADE)!

Quem diria que eu, depois de uma longa vida, ainda estaria à mercê dos ventos? É dessa forma que me sinto! Às vezes, no meio da noite, quando o silêncio administra o meu tempo, revela-se em mim uma alma desamparada! Grandes conflitos  emergem! O coração dispara! A boca fica seca! Um tremor intenso e incontrolável no corpo! Como uma criança muito assustada, me sento abruptamente na cama! É o medo! Por um tempo, o coração insiste em ficar acelerado, não sou mais dona de mim! Tudo isso me conduz a um lugar pouco conhecido e muito assustador! Será a morte ou um sinal de vida? A confusão se instala! Brigo comigo mesma e me obrigo a sair desse estado de  desequilíbrio! Muitas vezes demora uma eternidade! Um copo d’água, em pequenos goles, faz tão bem! Assim que consigo resgatar um pouco de mim, a consciência vai tomando forma,  sempre surge um corpo muito cansado! Tento ficar focada apenas nos sentimentos e sensações presentes. Percebo a força que existe nesse movimento inconsciente, de difícil acesso. Ora me sinto frágil, ora me sinto forte! Tento me entender desesperadamente! Nos momentos em que me recuperei dessas crises, comecei a sentir que todo esse sofrimento, não é tão mal assim. Talvez seja o único jeito de me conduzir aos caminhos da alma!

LIMITES SÃO NECESSÁRIOS (conflito)

Acho que estou precisando rever valores. Conclui, que tenho permitido que me tratem de uma forma cruel.  Estou me sentindo humilhada e ofendida. Entendo que na vida, algumas situações, devem ser aceitas do jeito que são. Não dá pra mudar, porém, aceitar tudo? Se anular como pessoa? “NUNCA”! Aí, a confusão se instala! Me perco numa imensa dúvida, que direção devo tomar. E o meu casamento? Que opção tenho? Posso abandonar tudo? Deixar o tempo acontecer?  Continuar nessa auto imagem vazia e infeliz?  Isso eu não quero! Existe um leque de opções, muitas delas, mudaria minha vida radicalmente. Será? Como saber sem dizer sim? Penso que se continuar a me sabotar, irei adoecer. Me sinto , em alguns momentos muito fragmentada, energeticamente. Tenho que estabelecer e respeitar os meus limites! Limites são necessários, pra evitar que eu entre numa “U.T.I. EMOCIONAL”! Foi com essa queixa, que Lúcia, iniciou seu processo terapêutico, há um tempo atrás. Hoje, saiu daquele estado emocional caótico, restabeleceu sua identidade e busca cuidar melhor de si mesma. Já sabe o quer, para ser feliz!