FURA OLHO! ( EGOÍSMO/ IMATURIDADE EMOCIONAL).

Conhecemos o ser humano quanto à sua raça e origem. Os negros, amarelos e brancos são prontamente visualizados e reconhecidos. A aparência física é fácil visualizar e perceber suas características, diferenças e semelhanças. O lado mais complexo de se olhar é o aspecto psíquico. Com todas as suas funções e disfunções específicas! É ele que determina o  comportamento. Nele que estão armazenados conteúdos emocionais de uma vida! Tudo se inicia na gestação. Recebemos desde o útero materno um “alimento emocional determinante”. Pode ser saudável ou não. Vai depender da qualidade do contato que recebemos. Um útero quente e cheio de amor  ou um útero frio e sem acolhimento. O saldo desse alimento é que vai fazer a diferença na distribuição energética do “ser” em formação.  Gestação nutrida com muito amor é um ótimo começo para a vida! Sequelas emocionais, em maior ou menor grau, podem ser oriundas daí. Todas as vivências afetivas, nas mais variadas fases, são muito importantes para uma função equilibrada do aparelho psíquico. Podemos recalcar no inconsciente traumas e estresses profundos, como forma de nos proteger da dor. Ficam lá, quietinhos. Poderão ser acionados em situações de carências e fragilidades intensa. É muito difícil de se diagnosticar, em nós mesmos ou no outro! Por isso nos iludimos tanto com as pessoas. “As aparências enganam”! É um dos motivos principais das escolhas erradas que fazemos. Cada pessoa age e tem reações próprias diante das situações da  vida. Estou com uma paciente a quem vou chamar “Fabiana”. Fruto de uma gravidez indesejada. Sua mãe, mulher mal amada, não conseguiu abortar em tempo. Nunca a desejou! Assim que ela nasceu foi entregue para a adoção. Fabiana não pode sentir de sua mãe o acolhimento amoroso a que toda criança tem direito! Foi adotada quando tinha nove meses, por uma família muito rígida e formal. Cresceu rebelde e agressiva. Aparentemente fazia o jogo da boa menina, até certo ponto! Muitos problemas emocionais! Na adolescência foi um horror! Fugiu várias vezes de casa. Parou de estudar. Revoltada, mesmo! Envolveu-se com más companhias. Quase matou a mãe adotiva de tanto desgosto. Passada essa fase crítica, depois de muitas punições e advertências, voltou aos estudos. Transformou-se numa moça astuta, charmosa e envolvente. Com muitas atitudes negativas recorrentes e auto destrutivas. Sem amigas verdadeiras. Criou fama de mau caráter. Adorava destruir os relacionamentos de outras mulheres, por simples prazer. Sentia-se, assim, poderosa! Isso alimentava o seu ego! Aprendeu a seduzir e conquistar com palavras e gesto falsos. Gostava só de homens comprometidos.  Usava todo o seu charme para conquistar esse homens. Não tinha piedade das mulheres! Claro que só caiam no seu jogo os carentes e fragilizados, em busca de autoafirmação. Essa foi a forma que Fabiana desenvolveu para se sentir importante, valorizada e acolhida. Talvez amada! Não se dava conta da sua falta de ética e de respeito. Um  extremo egoísmo. Não pensava na dor do outro. Essa moça articulada e aparentemente boazinha, teve uma surpresa inesperada no seu último jogo de sedução. Resolveu conquistar Pedro, marido de Juliana. Se deu  mal! Foi mexer com a pessoa errada! Jogou charme. Usou todos os seus instrumentos de sedução. Conhecidos e eficazes. Ele, homem viril e machão, caiu na armadilha. Quis mostrar sua força de macho e tentou corresponder às expectativas de Fabiana. Ela, nem um pouco preocupada se iria destruir uma família com dois filhos. Se provocaria sofrimentos. Para ela, ficava mais excitante. Não estava nem aí !Juliana desconfiou do comportamento de seu companheiro. Resolveu investigar a situação e lutar pelo seu casamento. Sabia que estava em crise. Sabia, também, que ela e o marido se amavam! Mulher forte e determinada, foi tirar satisfação direta com Fabiana. Sem briga. Muito diálogo. Defendeu o seu casamento  com todas as armas que uma mulher apaixonada pode usar. Conversou longamente. Falou de sua história. Dos seus conflitos e angústias. Se desnudou. Mostrou-se verdadeira. Íntegra! Fabiana ficou perplexa com a honestidade e a exposição emocional de Juliana. Não tinha até então conhecido esse modelo de mulher. Sensível e leal. Forte e determinada.  Algo se mobilizou em seu interior! Surgiu uma admiração inesperada pela atitude íntegra e transparente de Juliana. Viu-se pequena diante daquela mulher! Sensações novas, ambivalentes! Veio buscar terapia há um tempinho. Está num processo de abrir o coração. Na última sessão, tivemos um indício importante. Uma semente ligada ao amor genuíno parece que está brotando, germinando. Processo mágico! A empatia e o respeito estão metendo o nariz em seus sentimentos. Está numa fase de gestar seus emoções. Vamos trabalhar com muito cuidado e sensibilidade pra que essa gestação não seja de alto risco! FURAR OLHO É CEGUEIRA NA ALMA!

BAILE DE MÁSCARAS! ( TRAUMA E RIGIDEZ).

Saudades. Quantas saudades! O peito dói muito. Parece que vou enfartar. Você não devia ter feito o que fez. Tão insensível, meu Deus. Onde estava a paixão forte que dizia sentir? Bem no momento em que eu estava quase voando de tanta felicidade. Você não sabe perdoar! Decididamente, você não me merece! Me arrependi profundamente de ter ido ao baile das máscaras. Naquele dia, eu tinha me programado para sair com o você, embora não sentisse nenhuma atração. Tenho que ser sincera! Estava muito envolvida com o meu ex namorado! Dada a sua insistência, iria experimentar  conhecer você melhor. Todos comentavam da sua paixão por mim. Aconselhavam-me a lhe dar uma chance. Você tinha uma ótima reputação. Pensei bem. Não custava nada. Me sentia tão carente! Tinha perdido um grande amor! Estava ainda de luto. Eu carente e você oferecendo amor! Na verdade eu tinha até um pouco de pena de rejeitar você. Juro que não pretendia cancelar o nosso cinema daquela noite. A Rita, minha melhor amiga, tinha que aparecer com o convite do baile do clube. Bem no dia do nosso encontro? Fiquei numa dúvida danada. Acho que fui infantil. Verdade que eu já tinha confirmado o nosso encontro. Você, exagerado, me mandou um buquê de rosas vermelhas. lembra? Sei que sua expectativa era imensa.  Por outro lado, também,  há muito tempo, eu sonhava em ir à um baile de máscaras. Nunca tinha ido! Num ímpeto, resolvi cancelar o nosso encontro. Inventei uma enxaqueca fortíssima! Hoje, acho que fui egoísta e cruel. Não pensei duas vezes, corri para alugar uma fantasia. Consegui a de “Dançarina sem rosto”! Era linda. De um tecido leve e colorido. A máscara cobria o rosto todo. Não dava pra ser reconhecida, de jeito algum! No baile, me senti exuberante e misteriosa. Uma sensação muito nova. Ali eu pude viver minhas fantasias, livremente. A orquestra tocando músicas incríveis. Todos os ritmos . Pessoas descontraídas. Muita animação. Muita alegria. Num intervalo da orquestra, fui me sentar sozinha numa mesa de canto. Distraída, ouço atrás de mim uma voz rouca e quente se convidando a sentar-se ali, comigo. Virei a cabeça e dei de cara com um “zorro”! Não dava pra reconhecer quem estava por trás daquela máscara. Gostei de seu atrevimento.”Gosto de homens com atitudes”! Começamos a conversar sobre assuntos intrigantes. Parecia que a gente se conhecia há muito tempo. Enquanto conversávamos, ele acariciava as minhas mãos com uma delicadeza que nunca senti. Fiquei imaginando quem estava por traz daquela fantasia. Quem seria? Apenas a boca e os olhos davam para serem vistos.  Me pareceram conhecidos. Estava confusa com tantos coquetéis! Atrevidamente ele aproximou o seu rosto do meu e me presenteou com um beijo delicioso. Me arrepiei! Ali, eu me apaixonei. Ficamos juntos o resto da festa. Dançamos e rimos muito. Parecia um sonho! Ele não sabia o que fazer para me agradar. Eu feliz, me sentia nas nuvens. Combinamos de tirar as máscaras só quando acabasse o baile. Pronto. Fim de de festa!  Não acreditei. Não podia ser verdade! Pensei estar  embriagada. Tendo visões. Bem ali, em minha frente, estava o Breno. “De carne e osso”! O cara apaixonado que eu rejeitei tanto!  Fiquei perplexa. Feliz. Confusa. A minha voz sumiu. A dele não! Não sei como alguém pode mudar tanto em segundos! Fiquei assustada. Expressou uma raiva e agressividade inesperada. Jogando fogo no olhar, sadicamente,  me disse em tom sarcástico: Você é uma mentirosa. Falsa. Cruel! Essa era a sua dor de cabeça? Não sei como me interessei por você! Eu te idealizei. Me fez de palhaço. Realmente você me desencantou! Nunca mais quero te ver! Saiu pisando forte. Depois disso ele sumiu. Tentei me desculpar. Ele nunca atendeu meus telefonemas. Aquele encontro no baile, foi tão intenso. Despertou em mim muitos sentimentos. Não tem explicação. Fiquei apaixonada. Envergonhada. Confusa e com uma imensa saudade. Parece que fui vítima de uma bruxaria! Tentei contato novamente. Nada! Descobri, através de amigos, que ele foi uma criança  adotada e teve muitos  traumas  desde o nascimento. Nasceu de uma mãe adolescente de dezesseis anos .  Ela entregou o BRENO para adoção e nunca mais se soube dela. Ele foi adotado por Carla. Por uns tempos tudo correu bem. Aos poucos Carla foi mudando muito. Começou a andar  com más companhias a se drogar e se prostituir. Saia quase todas as noites. Pouco se importando com Breno. Ele preenchia o tempo criando personagens imaginários, como companhia. Carla dizia a ele que trabalhava de garçonete num bar no centro da cidade. Isso perdurou por anos. O povo comenta! Quando Breno se tornou adolescente, ouviu que o trabalho de Carla era a prostituição. Ficou transtornado com tudo! Não perdoou a mentira. Transformou-se num jovem revoltado e muito carente. Assim que deu, foi morar com um amigo. Começou a estudar como um louco. De algum jeito queria resgatar a sua identidade e honra.  Desenvolveu aversão a mentiras! Foi a forma que achou pra se defender da dor de ser enganado. Já bastava a sua mãe  genética que o doou como se fosse um “pacote de bolachas”. Levou a vida a sério. Estudou muito. Ao mesmo tempo que se tornou muito rígido em alguns aspectos, ficou também, extremamente, sensível e humano. Formou-se em assistência  social e foi trabalhar com crianças carentes. Nunca perdoou as “suas duas mães”!  Intolerante às mentiras. Quando ouvi  todo esse drama, compreendo Breno. As coisas fizeram sentido. Fiquei mais apaixonada ainda. Com muita vontade de grudar nele! Deus, acho que é castigo.  As festas de fim de ano estão chegando. Será que devo? Essa dúvida me mata. Cadê o meu celular? Alô? DEIXE O SEU RECADO!!!